E durante a gravidez?

De todos os assuntos que relacionam o consumo de vinho à saúde das pessoas, o mais controverso, é, sem dúvida, a gravidez.

 A gravidez e o parto

Um estudo publicado pela American College of Obstetricians and Gynecologists pesquisou a relação entre o consumo de vinho e as condições de gravidez e parto de mais de 5 mil mulheres, entre 2004 e 2011.

Segundo a equipe internacional envolvida na pesquisa, formada por irlandeses, ingleses, neozelandeses e australianos, o consumo moderado de vinho durante a gestação não aumenta os riscos de parto prematuro, baixo peso do bebê ao nascer, nem de pré-eclâmpsia (pressão arterial materna elevada).

No que diz respeito ao consumo abusivo de álcool, um estudo australiano, anterior a esse, já havia alertado para o risco elevado de parto prematuro nessa situação, mesmo quando interrompido a partir do 4º mês.

 O desenvolvimento da criança

Pesquisadores da University College London concluíram, em um estudo publicado em 2010, que envolveu mais de 10 mil crianças, que beber vinho moderadamente durante a gestação não prejudica o desenvolvimento do bebê.

O estudo relacionou o consumo de vinho das mães durante a gravidez e a incidência de problemas emocionais, comportamentais e déficits cognitivos nas crianças, aos 5 anos de idade.

Os testes não mostraram quaisquer atrasos no desenvolvimento das crianças. A pesquisa, inclusive, apontou para eventuais benefícios do consumo moderado de vinho. Os filhos cujas mães consumiam moderadamente a bebida, quando grávidas, apresentaram 30% menos chances de desenvolver alguns problemas, como hiperatividade.

O consumo moderado durante a gestação, considerado por esses especialistas, foi o limite de duas taças de vinho por semana, em comparação à abstinência total.

Esse estudo serviu de suporte para a posição oficial das autoridades de saúde britânicas, que desencoraja o consumo de álcool por gestantes, mas reconhece que não há evidência de dano em consumir um pequeno copo de vinho, de vez em quando, após o primeiro trimestre da gestação.

Um outro estudo britânico, com 7 mil crianças de 10 anos, foi baseado nas habilidades de equilíbrio dinâmico e estático. Não houve indício, também, de prejuízo de desenvolvimento neurológico associado ao consumo moderado de vinho durante o período gestacional. Porém, mediante consumo maior que uma taça ao dia, esse estudo constatou piora no desenvolvimento escolar destas crianças.

Em 2012, na Dinamarca, pesquisadores divulgaram resultados que afirmam que o consumo moderado de álcool durante a gravidez da mãe não afeta a capacidade de uma criança de cinco anos para planejar, organizar, criar estratégias, recordar detalhes ou gerir o tempo.

Obviamente faz-se necessária muito mais pesquisa sobre as consequências desse hábito a longo prazo. Até então, a maioria das autoridades de saúde aconselham a abstinência.

Também é óbvio existe um fator cultural nessa questão. Nos EUA, por exemplo, o consenso pela abstinência total durante a gravidez é maior do que em países europeus como a Itália ou a França.

O fato é que, com o consumo crescente de vinho, no mundo, o assunto tem gerado cada vez mais interesse.

Recentemente, uma professora de economia da Universidade de Chicago lançou um livro entitulado “Expecting Better”. Nele, ela disseca as regras ditadas durante a gravidez. Para isso, foi atrás de centenas de pesquisas científicas realizadas a respeito. É claro que a obra não foi recebida com unanimidade. Críticas severas partiram, por exemplo, do U.S. National Organization on Fetal Alcohol Syndrome, que considerou a contribuição prejudicial, visto que o abuso de álcool durante a gravidez pode trazer consequências graves, como a Síndrome Alcoólica Fetal.

O consumo excessivo de álcool não é, de fato, recomendado a pessoa alguma. Nem a compulsão aguda, nem o abuso crônico. O segredo é a moderação, sempre.

Ler opiniões e estudos científicos sempre é enriquecedor. Mas, principalmente durante a gestação, é fundamental a relação de confiança com o seu médico, seguindo exemplarmente suas orientações.




Você está em

Quem somos

 

O Tintos&Tantos nasceu em 2013, e em seu pouco tempo de vida, já se tornou uma referência no mercado editorial de vinho, nacional e internacionalmente.

 

Para contar quem somos, primeiro vamos dizer quem nós não somos. Não somos um blog de vinhos. Não somos críticos de vinhos.

 

O Tintos&Tantos é um portal de Internet, que dá acesso a um conteúdo editorial, de produção própria, inteiramente dedicado ao mundo do vinho. 

 

Nossa contribuição é prover informação imparcial, relevante e gratuita.  Sempre em linguagem acessível e agradável de ler.

 

O intuito do Tintos&Tantos é o de fomentar o estudo, o interesse, a crítica, e até mesmo a polêmica a respeito do vinho.

 

Nosso foco não é competir com outros geradores de conteúdo, pelo contrário: ao sermos mais um agente no desenvolvimento desse mercado, e na consolidação dessa cultura, todos nós, apaixonados por vinho, ganhamos: consumidores, editores especializados, blogueiros, youtubers, produtores, importadores, sommeliers, enólogos e enófilos em geral...

 

Na nossa opinião, quanto mais gente do bem estiver falando sobre o mundo do vinho, com respeito e profissionalismo, melhor para todos nós.

 

Assim, é com imensa satisfação que criamos conteúdo diário e interagimos com cada leitor, através dos nossos canais de comunicação e de mídias sociais. 

 

No Facebook (www.facebook.com/tintosetantos), por exemplo, onde tantos amigos nos acompanham, é com orgulho que constatamos ser, o Tintos&Tantos, a maior página do Facebook, no mundo, em sua categoria! Uma comunidade de pessoas curtindo, comentando, se divertindo, aprendendo e ensinando, concordando e discordando... Todos nós, apaixonados pelo maravilhoso universo que cerca o vinho.

 

Não somos donos da verdade. Na verdade, recomendamos fortemente que se duvide de qualquer um que diga conhecer tudo sobre vinhos.

 

Esperamos que você aprecie e que continue nos acompanhando, e sempre que possível, ajudando na divulgação e propagação desse projeto, cujo foco será sempre você, vinhonauta!

 

A você, o nosso muito obrigado!

A você, o nosso brinde!

 

Em caso de dúvida, crítica ou sugestão, entre em contato pelo e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.