Pastéis de Nata, ou de Belém

Um doce tradicional português. Mas tão irresistível, e tão fácil de fazer, que pode virar tradicional da sua cozinha!

 Rendimento:

8 pessoas

 Ingredientes: 

.  150 g de massa folhada pronta 
.  8 gemas de ovo
.  500 ml de creme de leite tipo nata
.  ½ colher (de sopa) de amido de milho
.  200 g de açúcar
.  1 colher (de café) de baunilha
.  canela em pó a gosto
.  1 tira de casca de limão 

 Modo de Preparo:

Misture as gemas, o creme de leite tipo nata, o amido de milho, o açúcar, a baunilha, a canela e a casca de limão. Leve ao fogo brando, mexendo sem parar, até ferver. Desligue o fogo, retire a casca do limão, e deixe o creme abaixar de temperatura até ficar morno.

Enquanto isso, desenrole a massa folhada e corte em círculos para forrar forminhas de empada. Para adaptar a massa às forminhas, umedeça um pouco a ponta dos dedos.

Distribua o creme nas forminhas, e leve para assar em forno pré-aquecido e alto, por cerca de 8 a 10 minutos, ou até o creme ficar bem dourado.

 Harmonização:

Esse pastelzinho é um excelente parceiro para o café, mas vai ficar ainda mais charmoso se servido com um tradicional vinho fortificado português, o Moscatel de Setúbal. Para ler sobre esse vinho, clique aqui.

Agora, um pouquinho da história desse docinho...

O nome do doce, na verdade, é Pastel de Nata. Pastel de Belém é uma marca registrada pela confeitaria que fica ao lado do Mosteiro dos Jerônimos, em Belém, freguesia da cidade de Lisboa. Mas os pasteizinhos de nata são conhecidos, por todo lado, e em todo o país, como Pastéis de Belém.

O docinho teria sido inventado pelos membros do Mosteiro dos Jerônimos, na época em que ordens religiosas foram extintas de Portugal, em 1834. A venda dos pastéis era uma maneira dos religiosos sobreviverem, já que seus bens foram confiscados, e a pensão prometida a eles não foi paga.

Mas há quem conteste a história, afirmando que os pastéis de nata são mais antigos que isso, tendo aparecido pela primeira vez sob o nome de pastéis de leite, em um manuscrito antigo do receituário português, o Livro de Cozinha da Infanta Dona Maria, do século 16. Esse é considerado, inclusive, o mais antigo livro de receitas portuguesas conhecido.

A verdade sobre a origem dos pastéis, não se sabe. O certo é que são uma delícia. Que tal um Pastel de Nata, agora?




Você está em

Quem somos

 

O Tintos&Tantos nasceu em 2013, e em seu pouco tempo de vida, já se tornou uma referência no mercado editorial de vinho, nacional e internacionalmente.

 

Para contar quem somos, primeiro vamos dizer quem nós não somos. Não somos um blog de vinhos. Não somos críticos de vinhos.

 

O Tintos&Tantos é um portal de Internet, que dá acesso a um conteúdo editorial, de produção própria, inteiramente dedicado ao mundo do vinho. 

 

Nossa contribuição é prover informação imparcial, relevante e gratuita.  Sempre em linguagem acessível e agradável de ler.

 

O intuito do Tintos&Tantos é o de fomentar o estudo, o interesse, a crítica, e até mesmo a polêmica a respeito do vinho.

 

Nosso foco não é competir com outros geradores de conteúdo, pelo contrário: ao sermos mais um agente no desenvolvimento desse mercado, e na consolidação dessa cultura, todos nós, apaixonados por vinho, ganhamos: consumidores, editores especializados, blogueiros, youtubers, produtores, importadores, sommeliers, enólogos e enófilos em geral...

 

Na nossa opinião, quanto mais gente do bem estiver falando sobre o mundo do vinho, com respeito e profissionalismo, melhor para todos nós.

 

Assim, é com imensa satisfação que criamos conteúdo diário e interagimos com cada leitor, através dos nossos canais de comunicação e de mídias sociais. 

 

No Facebook (www.facebook.com/tintosetantos), por exemplo, onde tantos amigos nos acompanham, é com orgulho que constatamos ser, o Tintos&Tantos, a maior página do Facebook, no mundo, em sua categoria! Uma comunidade de pessoas curtindo, comentando, se divertindo, aprendendo e ensinando, concordando e discordando... Todos nós, apaixonados pelo maravilhoso universo que cerca o vinho.

 

Não somos donos da verdade. Na verdade, recomendamos fortemente que se duvide de qualquer um que diga conhecer tudo sobre vinhos.

 

Esperamos que você aprecie e que continue nos acompanhando, e sempre que possível, ajudando na divulgação e propagação desse projeto, cujo foco será sempre você, vinhonauta!

 

A você, o nosso muito obrigado!

A você, o nosso brinde!

 

Em caso de dúvida, crítica ou sugestão, entre em contato pelo e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.