Azal

Cultivada na região dos Vinhos Verdes, principalmente nas sub-regiões de Penafiel, Amarante e Basto. Essa é a Azal.

Presente quase que exclusivamente no noroeste de Portugal, os sinônimos históricos e regionais mais comuns, para a Azal, são Azal da Lixa e Gadelhudo.

No início do século 20, a Azal era a principal casta utilizada na produção de vinhos brancos, nessa região. Atualmente, ainda é uma das principais cepas da denominação de origem Vinhos Verdes, entre as 47 autorizadas, pela legislação.

A Azal é uma variedade de bagos grandes e esverdeados, que apresentam pele espessa e duas sementes, em média. Os cachos são muito compactos, de tamanho médio e formato cônico.

Essa é uma cepa muito produtiva, que brota precocemente mas é de maturação tardia, e que prefere terrenos secos e bem expostos.

Não é muito comum encontrarmos varietais elaborados com a Azal. Primeiro, por uma questão de tradição local, já que os portugueses são notoriamente conhecidos pela preferência por produzir vinhos de corte, arte que dominam, aliás. 

Outro motivo é que o vinho elaborado com a Azal é de uma acidez bastante marcante, com aromas frutados pouco intensos. Os aromas mais associados à Azal são maçã verde e limão.

A acidez crocante e a nitidez da Azal são alguns dos elementos vitais no corte dos famosos Vinhos Verdes portugueses. Esses vinhos, marcados pela juventude e frescor, podem se revelar encorpados e harmoniosos, em anos excepcionais.

Em 2008, por exemplo, o clima ameno e sem chuvas permitiu ao viticultor esperar mais para colher a Azal, que acabou se revelando mais equilibrada em relação à acidez. Com mais tempo para desenvolver seus açúcares, foi possível obter vinhos um pouco mais alcoólicos, o que também contribuiu para um resultado final mais equilibrado.

Voltando aos cortes de Vinho Verde, os parceiros mais frequentes, da Azal, são Loureiro, Trajadura, Arinto, Avesso e Alvarinho, todas cepas autóctones de Portugal, país que ostenta mais de 250 castas nativas.

Para harmonizar um vinho produzido com Azal, sugerimos mariscos e pratos elaborados, por exemplo, com pimentões verdes.

E, nesse caso, temperatura é fundamental. Sirva esse vinho entre 8 e 12°C, para que ele ofereça o seu melhor desempenho!

Para encerrar, se quiser ler mais sobre Vinhos Verdes, clique aqui e também aqui.




Quem somos

 

O Tintos&Tantos nasceu em 2013, e em seu pouco tempo de vida, já se tornou uma referência no mercado editorial de vinho, nacional e internacionalmente.

 

Para contar quem somos, primeiro vamos dizer quem nós não somos. Não somos um blog de vinhos. Não somos críticos de vinhos.

 

O Tintos&Tantos é um portal de Internet, que dá acesso a um conteúdo editorial, de produção própria, inteiramente dedicado ao mundo do vinho. 

 

Nossa contribuição é prover informação imparcial, relevante e gratuita.  Sempre em linguagem acessível e agradável de ler.

 

O intuito do Tintos&Tantos é o de fomentar o estudo, o interesse, a crítica, e até mesmo a polêmica a respeito do vinho.

 

Nosso foco não é competir com outros geradores de conteúdo, pelo contrário: ao sermos mais um agente no desenvolvimento desse mercado, e na consolidação dessa cultura, todos nós, apaixonados por vinho, ganhamos: consumidores, editores especializados, blogueiros, youtubers, produtores, importadores, sommeliers, enólogos e enófilos em geral...

 

Na nossa opinião, quanto mais gente do bem estiver falando sobre o mundo do vinho, com respeito e profissionalismo, melhor para todos nós.

 

Assim, é com imensa satisfação que criamos conteúdo diário e interagimos com cada leitor, através dos nossos canais de comunicação e de mídias sociais. 

 

No Facebook (www.facebook.com/tintosetantos), por exemplo, onde tantos amigos nos acompanham, é com orgulho que constatamos ser, o Tintos&Tantos, a maior página do Facebook, no mundo, em sua categoria! Uma comunidade de pessoas curtindo, comentando, se divertindo, aprendendo e ensinando, concordando e discordando... Todos nós, apaixonados pelo maravilhoso universo que cerca o vinho.

 

Não somos donos da verdade. Na verdade, recomendamos fortemente que se duvide de qualquer um que diga conhecer tudo sobre vinhos.

 

Esperamos que você aprecie e que continue nos acompanhando, e sempre que possível, ajudando na divulgação e propagação desse projeto, cujo foco será sempre você, vinhonauta!

 

A você, o nosso muito obrigado!

A você, o nosso brinde!

 

Em caso de dúvida, crítica ou sugestão, entre em contato pelo e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.