Rolhas: naturais ou sintéticas?

Um dos muitos assuntos polêmicos que rondam o vinho, a preferência por rolhas naturais ou sintéticas pode render acaloradas discussões. Entenda os argumentos de ambos os lados, e veja como há espaço para a controvérsia...

 

 Segurança

Teoricamente, as rolhas sintéticas não são atingidas pelo TCA (Tricloroanisole), que é uma substância que atinge rolhas naturais e deixa o vinho com cheiro de mofo. Mas existe uma vertente que afirma que as rolhas sintéticas não são, não, imunes ao problema, ao contrário do que sempre se acreditou.

De qualquer forma, a incidência do problema diminuiu significativamente desde que a indústria de rolhas de cortiça, pressionada pela competição crescente, investiu de forma exemplar contra o TCA, aprimorando seus controles de qualidade.

 Economia

A rolha de cortiça, produzida a partir da casca do carvalho, está longe de ser um insumo barato para a indústria do vinho, e o custo mais baixo acaba sendo uma das maiores vantagens da rolha sintética, produzida a partir de material plástico.

Mas os críticos dessa inovação alertam para o fato de que o menor custo dessas novas rolhas favorece somente o produtor de rolhas e o produtor de vinho, e, não, o consumidor final. Polêmico, para dizer o mínimo!

 Vedação

As garrafas, por serem de vidro, se expandem e se contraem, mesmo com pequenas variações de temperatura. A cortiça natural acompanha esse movimento de expansão e contração, mantendo constante a vedação ideal entre a rolha e a garrafa.

As rolhas sintéticas, se estiverem muito apertadas, impedem a entrada das pequenas quantidades de oxigênio necessárias para o desenvolvimento do vinho. Já quando elas estão mais largas que o ideal, o material sintético exagera na exposição do vinho ao oxigênio... Contudo, os defensores das rolhas sintéticas lembram que os vinhos de guarda, próprios para envelhecer em garrafa, representam menos de 10% do total das garrafas produzidas no mundo... Nesse caso, as rolhas sintéticas seriam apropriadas para 90% das garrafas!

 Sustentabilidade

Apesar de ambas serem recicláveis, as rolhas de cortiça estão mais associadas aos conceitos de sustentabilidade e ecologia, por haver menor emissão de carbono no processo de produção. Natural, biodegradável, reciclável e renovável, a rolha natural é um trunfo ambiental, quando comparada à sintética.

As rolhas sintéticas, produzidas de material plástico derivado do petróleo, requerem muito mais energia em seu processo produtivo, emitindo mais carbono. Esse é sem dúvida um tema instigante, até porque existem rolhas sintéticas não plásticas, e, sim, produzidas a partir da borracha...

 Tradição

Pesquisas realizadas por várias vinícolas ao redor do mundo indicam que a preferência do consumidor continua sendo pelas rolhas de cortiça. Talvez seja apenas uma questão de tradição, mas, de qualquer forma, os consumidores acabam associando as rolhas naturais a vinhos de qualidade superior. Seria isso puro preconceito ou constatação da realidade?

Melhores ou piores, o certo é que as rolhas sintéticas estão cada vez mais presentes no dia a dia, e assim como as de cortiça, são “a última barreira” para chegarmos onde realmente nos interessa: ao vinho!




Você está em

Quem somos

 

O Tintos&Tantos nasceu em 2013, e em seu pouco tempo de vida, já se tornou uma referência no mercado editorial de vinho, nacional e internacionalmente.

 

Para contar quem somos, primeiro vamos dizer quem nós não somos. Não somos um blog de vinhos. Não somos críticos de vinhos.

 

O Tintos&Tantos é um portal de Internet, que dá acesso a um conteúdo editorial, de produção própria, inteiramente dedicado ao mundo do vinho. 

 

Nossa contribuição é prover informação imparcial, relevante e gratuita.  Sempre em linguagem acessível e agradável de ler.

 

O intuito do Tintos&Tantos é o de fomentar o estudo, o interesse, a crítica, e até mesmo a polêmica a respeito do vinho.

 

Nosso foco não é competir com outros geradores de conteúdo, pelo contrário: ao sermos mais um agente no desenvolvimento desse mercado, e na consolidação dessa cultura, todos nós, apaixonados por vinho, ganhamos: consumidores, editores especializados, blogueiros, youtubers, produtores, importadores, sommeliers, enólogos e enófilos em geral...

 

Na nossa opinião, quanto mais gente do bem estiver falando sobre o mundo do vinho, com respeito e profissionalismo, melhor para todos nós.

 

Assim, é com imensa satisfação que criamos conteúdo diário e interagimos com cada leitor, através dos nossos canais de comunicação e de mídias sociais. 

 

No Facebook (www.facebook.com/tintosetantos), por exemplo, onde tantos amigos nos acompanham, é com orgulho que constatamos ser, o Tintos&Tantos, a maior página do Facebook, no mundo, em sua categoria! Uma comunidade de pessoas curtindo, comentando, se divertindo, aprendendo e ensinando, concordando e discordando... Todos nós, apaixonados pelo maravilhoso universo que cerca o vinho.

 

Não somos donos da verdade. Na verdade, recomendamos fortemente que se duvide de qualquer um que diga conhecer tudo sobre vinhos.

 

Esperamos que você aprecie e que continue nos acompanhando, e sempre que possível, ajudando na divulgação e propagação desse projeto, cujo foco será sempre você, vinhonauta!

 

A você, o nosso muito obrigado!

A você, o nosso brinde!

 

Em caso de dúvida, crítica ou sugestão, entre em contato pelo e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.