África do Sul

A África do Sul tem uma história de produção de vinhos surpreendentemente longa: a primeira safra de vinhos aconteceu em 1659. E, apesar de ainda não ser tão popular no Brasil, a África do Sul é bastante relevante no cenário mundial, oscilando entre 7º e 8º lugar no ranking de países produtores, em termos de volume.

Depois um longo período de exílio político, durante o qual a indústria vinícola ficou para trás em relação ao resto do mundo, os vinhos sul-africanos estão melhores do que nunca, principalmente de cinco anos para cá. A África do Sul passa, atualmente, por um incrível desenvolvimento, tanto nos vinhedos como nas vinícolas. As palavras de ordem são: “making better wine, making wine better”. Ou seja, estão produzindo, melhor, vinhos melhores. Um exemplo disso: mundialmente reconhecida por ser baseada em sustentabilidade, a vinicultura sul-africana trabalha em um ecossistema balanceado, com 1,3 hectares de conservação para cada hectare plantado.

A maioria das regiões vinícolas do Cabo são influenciadas por um desses dois poderosos oceanos: Atlântico e Índico. As influências marítimas, combinadas ao clima temperado mediterrâneo e à diversidade de solos, garantem as condições ideias para vinhos de caráter único e complexidade.

O extremo sul da África é um dos solos mais antigos do mundo, com um ambiente natural excepcional. Os vinhedos do Cabo estão localizados em uma área protegida, considerada pela UNESCO como patrimônio mundial, conhecida como Cape Floral Kingdom (Reino Floral do Cabo, em tradução literal). Para se ter uma ideia, 70% das plantas encontradas nessa região não são encontradas em nenhum outro lugar do planeta! Outra curiosidade: À noite, leopardos da montanha, que vivem ao redor dos vinhedos do Cabo, descem para as vinhas para caçar! Tudo muito pitoresco, não é mesmo?

Os vinhos da África do Sul que indicam a safra têm que ser produzidos com pelo menos 75% das uvas colhidas naquele ano; os que indicam a variedade da uva devem conter pelo menos 85% daquele tipo de fruta. E quando o termo "Wine of Origin" ou a sigla "WO", aparece em uma etiqueta, junto com o nome de uma área de produção, como Stellenbosch, Durbanville ou Robertson, significa que 100% das uvas deste vinho vieram desta área específica.

No que diz respeito aos brancos, a África do Sul é especialista em duas cepas francesas: Chenin Blanc (a variedade de uva branca mais plantada no país) e Sauvingnon Blanc. Mas o país também produz excelentes Chardonnay e Sémillon. Na África do Sul, encontramos Chenin Blancs ricos e complexos, e Sauvignon Blancs considerados como um dos mais excitantes do mundo.

Entre os tintos, é impossível deixar de mencionar a Pinotage, a única variedade autenticamente sul-africana, do tipo que ou se ama ou se odeia, com riqueza de notas frutadas combinada com marcantes nuances de fumaça, e sabor característico de alcaçuz preto. A Pinotage foi criada em 1925, a partir do cruzamento das cepas Pinot Noir e Cinsault (Hermitage).

As vinícolas sul-africanas também são responsáveis por excelentes vinhos Merlot, Cabernet Sauvignon, Grenache e, principalmente, Shiraz.

A biodiversidade da região cria um tesouro de possibilidades de vinificação, com opções realmente infinitas; basta ver as diferenças entre um Sauvignon Blanc de Elim e um de Elgin, ou um Shiraz de Paarl comparado a um de Stellenbosch.

Renda-se também aos vinhos africanos e surpreenda-se, afinal não parece um excelente e prazeroso desafio? 

Para saber as características dos rótulos da África do Sul, clique aqui.

 





Quem somos

 

O Tintos&Tantos nasceu em 2013, e em seu pouco tempo de vida, já se tornou uma referência no mercado editorial de vinho, nacional e internacionalmente.

 

Para contar quem somos, primeiro vamos dizer quem nós não somos. Não somos um blog de vinhos. Não somos críticos de vinhos.

 

O Tintos&Tantos é um portal de Internet, que dá acesso a um conteúdo editorial, de produção própria, inteiramente dedicado ao mundo do vinho. 

 

Nossa contribuição é prover informação imparcial, relevante e gratuita.  Sempre em linguagem acessível e agradável de ler.

 

O intuito do Tintos&Tantos é o de fomentar o estudo, o interesse, a crítica, e até mesmo a polêmica a respeito do vinho.

 

Nosso foco não é competir com outros geradores de conteúdo, pelo contrário: ao sermos mais um agente no desenvolvimento desse mercado, e na consolidação dessa cultura, todos nós, apaixonados por vinho, ganhamos: consumidores, editores especializados, blogueiros, youtubers, produtores, importadores, sommeliers, enólogos e enófilos em geral...

 

Na nossa opinião, quanto mais gente do bem estiver falando sobre o mundo do vinho, com respeito e profissionalismo, melhor para todos nós.

 

Assim, é com imensa satisfação que criamos conteúdo diário e interagimos com cada leitor, através dos nossos canais de comunicação e de mídias sociais. 

 

No Facebook (www.facebook.com/tintosetantos), por exemplo, onde tantos amigos nos acompanham, é com orgulho que constatamos ser, o Tintos&Tantos, a maior página do Facebook, no mundo, em sua categoria! Uma comunidade de pessoas curtindo, comentando, se divertindo, aprendendo e ensinando, concordando e discordando... Todos nós, apaixonados pelo maravilhoso universo que cerca o vinho.

 

Não somos donos da verdade. Na verdade, recomendamos fortemente que se duvide de qualquer um que diga conhecer tudo sobre vinhos.

 

Esperamos que você aprecie e que continue nos acompanhando, e sempre que possível, ajudando na divulgação e propagação desse projeto, cujo foco será sempre você, vinhonauta!

 

A você, o nosso muito obrigado!

A você, o nosso brinde!

 

Em caso de dúvida, crítica ou sugestão, entre em contato pelo e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.